Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Geopolítica e Geoestratégia das Relações Internacionais

Apresentação

A Unidade Curricular além de indicar alguns elementos introdutórios de âmbito internacional, incide directamente sobre os agentes e condicionantes das relações internacioanis. Por isso, a sua area de atuação e o seu domínio de intervenção envolvem-se directamente no âmbito doas relações internacionais políticas e económicas, sendo inegável a pertinecia desta unidade curricular no âmbito do Curso de Estudos Europeus, Estudos Lusófonos e Relações Internacionais.

Curso

Estudos Europeus, Estudos Lusófonos e Relações Internacionais (ULP)

Grau|Semestres|ECTS

| Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Código

ULP290-14761

Disciplinas complementares recomendadas

Não Aplicável

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

I. Geopolítica:

1. A definição e a finalidade;

2. O determinismo geopolítico e a teoria possibilista;

3. Os factores estáveis e os factores variáveis;

4. Os fundadores e as escolas de geopolítica.

 

II.Geoestratégia:

1. A definição de geoestratégia e de estratégia e os objectivos;

2. As tendências;

3. As consequências das características e da posição estratégica do Estado

 

Objetivos

Esta unidade curricular pretende:
1. Indicar os elementos capazes de ajudar a compreender e a utilizar corretamente os principais conceitos de geopolítica e de geoestratégia.
2. Apresentar os elementos fundamentais para compreender o pensamento dos fundadores e das principais escolas defensoras da geoestratégia e da geopolítica.
3. Indicar os principais tipos de poder e as principais formas de utilização da força nas relações internacionais.
4. Insistir sobre os elementos necessários para conservar a paz e a segurança internacionais.

 

Metodologias de ensino e avaliação

1. Em cada sessão de trabalho, o docente indica o esquema do assunto a desenvolver e apresenta os principais conhecimentos existentes sobre este.
2. Em cada sessão de trabalho, o docente (durante a sua exposição ou preferentemente após ela) apela à participação dos estudantes presentes.
3. No final de cada sessão de trabalho, o docente indica o assunto a desenvolver durante a próxima sessão de trabalho e distribui elementos bibliográficos elaborados.
4. Promove-se a avaliação contínua. Neste âmbito:
a). É exigida a assistência às aulas e a realização de um trabalho de aprofundamento sobre um dos assuntos incluídos no programa. Este não deve ultrapassar as 10 páginas, com uma classificação de 0 a 20 valores
b). São realizados dois testes, com classificação de 0 a 20 valores cada.
c). A classificação final é a média das classificações obtidas nos três momentos de avaliação.
d). Os discentes que não forem aprovados na avaliação contínua ou que não se sujeitam a ela utilizam os exames.

Bibliografia principal

  • Martins, Manuel Gonçalves, (2017), O colonialismo europeu no continente africano, Lisboa, Chiado Editora.
  • Martins, Manuel Gonçalves (2016), Desafios das relações internacionais, Lisboa, Chiado Editora.
  • Martins, Manuel Gonçalves (2013), Portugal e a sociedade internacional. Reflexões, Porto, Lema de Origem Editora.
  • Martins, Manuel Gonçalves (2012), Êxitos, Fracassos e Exigências em Produções Científicas Realizadas , Porto, Lema de Origem Editora.
  • Martins, Manuel Gonçalves (2011), Os portugueses e os povos do continente asiático, Sintra, Pedro Ferreira Editor.
  • Tomé, A . (2011), Geopolítica e Geoestratégia. O Estudo e a Problemática. Lisboa: Edições Universitárias Lusófonas.
  • Correia, P. P.(2010). Manual de geopolítica e geoestratégia, vol. I e II. Coimbra: Almedina.

 

Horário de Atendimento

Nome do docente  

Horário de atendimento

Sala

António Manuel Lopes Tavares

Sexta-Feira às 09:30

Gabinete da FDCP