Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Sindicalismo em tempo de crise e crise da democracia - Reportagem

Conferência contou com a presença de Manuel Carvalho da Silva



Manuel Carvalho da Silva, sociólogo, investigador coordenador da delegação do CES em Lisboa e do Observatório sobre Crises e Alternativas e Vice-Presidente do Conselho Geral da Universidade do Minho foi orador convidado da quarta sessão do ciclo de conferências "Pensar a Democracia em Portugal".

"Pensar a Democracia em Portugal" encerra, assim, com a temática "Sindicalismo em tempo de crise e crise da democracia" que decorreu no passado dia 14 de maio na instituição anfitriã.

O orador começa a sua palestra por apresentar o significado de "crise", que remete sempre para momentos de dificuldade ou rotura. Afirmou que esta acabou por se tornar numa espécie de instituição. O Sindicalismo sendo um movimento social associado aos trabalhadores assalariados e que tem como objetivo proteger os seus interesses e tendo ainda em conta que o neoliberalismo domina globalmente torna-se obvio que o sindicalismo, impulsionador das ideias reformistas, é inimigo ao neoliberalismo.

Explicita que as universidades deveriam preparar os seus estudantes para um mundo global e isso passa nomeadamente pela compreensão destas questões.

Uma vez que o sindicalismo aborda questões como a dos salários, a dos horários e a das condições de trabalho visualiza-se a crise do mesmo nas diversas manifestações que tem vindo a acontecer e é visível que não se pode incutir pressão num só lado, isto é, só no lado dos trabalhos.Há que haver um consenso que deixe os trabalhadores confortáveis e os patrões satisfeitos. Abordou, por essa razão, a questão da "Autoeuropa".

É, talvez no setor dos transportes públicos que mais se tem vindo a observar o poder dosindicalismo, efetivamente nas constantes greves da CP e do metro do Porto, por exemplo.

No fim da sessão e enquadrando a temática na cibercultura, o orador expressou a sua curiosidade na Inteligência Artificial e em como esta acabará por colocar em crise o sindicalismo, uma vez que através da mesma podem ser criados novos conceitos, profissões e sub-profissões.