Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Unlove: sensibilização e prevenção da violência no namoro

Assiste ao resumo da apresentação do Projeto Unlove



Unlove é resultado do projeto do Movimento Democrático de Mulheres, financiado pela Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade e com a colaboração da Universidade de Aveiro (UA), nomeadamente do Departamento de Comunicação e Arte e do Digimedia (Centro de Investigação em Media Digitais). O Unlove é um jogo digital, de sensibilização e prevenção da violência no namoro.

Atua na promoção de uma cultura de igualdade e não-violência, este projeto tem como principal público-alvo os/as adolescentes e jovens adultos/as. Contempla dois produtos distintos que utilizam os média digitais como ferramentas de sensibilização e prevenção: o jogo Unlove e o guião Unpop. O primeiro é dirigido diretamente ao público-alvo e o Unpop é uma ferramenta a ser usada por professores ou animadores.

Esta ferramenta digital está acessível, gratuitamente, a todos os que a quiserem experimentar, podendo ser usada tanto pelos jovens individualmente, como em contexto de aula ou workshop de sensibilização para esta problemática. Constitui um produto essencial para a intervenção do MDM junto da população jovem e comunidade educativa, não apenas para a prevenção e sensibilização da violência no namoro, mas também como produto promotor de uma cultura de igualdade e não-violência.

Joana Lima, Mestre em Ciências Socais pela Universidade de Aveiro. Formadora em Igualdade de género. Ativista no Movimento Democrático de Mulheres (MDM) desde 2004, tendo iniciado aí também a sua atividade profissional no desenvolvimento de projetos nas áreas da Igualdade de Género, Direitos Humanos e Violência contra as Mulheres.

O jogo

UNLOVE é um jogo de base narrativa e "point and click", onde o/a protagonista/a é convidado/a a viver uma relação de namoro, assumindo uma personagem configurável e criando igualmente a personagem do/a namorado/a. O jogo explora o universo físico e emocional comum aos/às jovens do ensino secundário. As decisões conduzem a diferentes caminhos de relação e ocorrem em diferentes espaços e o jogo está desenvolvido para que o jogador vá tomando consciência do resultado das suas decisões.

Ao longo do jogo, "a relação destas duas personagens vai evoluindo, de acordo com as decisões individuais" do/a jogador/a que, em função da decisão que toma, "em cada momento, condiciona o caminho narrativo do seu jogo, existindo vários caminhos possíveis e respetivos finais de jogo/relação", continua, "o objetivo do jogo é que a pessoa que o joga se sinta livre de tomar as próprias decisões".

O/A jogador/a terá ainda acesso a um cenário de reflexão, que se vai alterando de acordo com as decisões de jogo, designado "mergulho interior", onde terá acesso às suas "memórias de jogo" e - claro está - "o cenário altera consoante as decisões".

Para crianças e jovens dos 12 aos 18 anos

Uma multiplicidade de violências continua a marcar a vida das mulheres. Há que combate-la e preveni-la. A prevenção da violência obriga a um exigente e estimulante trabalho de prevenção, junto das escolas. "A violência no namoro é a antecâmara da violência doméstica", afirma Joana Lima. O MDM propõe aos poderes políticos, às escolas, às comunidades educativas e a todas as organizações e movimentos envolvidos no combate à violência, a organização de uma campanha de criação de "Escolas Livres de violência no namoro".