Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

A Refundação do Comum

Veja a reportagem do evento que abordou a problemática das etapas da formação da anomalia



Como já é hábito, o Teatro Rivoli recebeu a conferência "A Refundação Do Comum: Da Grande Anomalia ao Novo Habitar da Terra" que levantou a problemática das etapas da formação da anomalia.

Para satisfazer a curiosidade do público e para dar mote ao evento, o nome do evento é acompanhado desta promessa: A Grande Anomalia não começou ontem. Veremos nesta conferência algumas das etapas da sua formação.

Fevereiro de 2019 e a decorrer no âmbito do Ciclo de Conferências - Do Comum, a conferência resume-se pela relação entre o Comum e o Privado. Sendo que não se excluem necessariamente, estabelecendo, pelo contrário, uma tensa relação de complementaridade. A novidade do nosso tempo de modernidade tardia reside na quebra dessa tensão vital entre o comum e o privado, pela hegemonia unilateral do último. Os sinais são hoje claros de que vivemos num tempo de desmesura e de eclipse do comum perante uma vaga desmesurada de apropriação e privatização do mundo, como mercadoria e oportunidade de capital e sua multiplicação. "É isso que designo como Grande Anomalia, resultado da plena realização da utopia tecnocientífica da modernidade, traduzida hoje na crise global do ambiente, nas alterações climáticas e no seu modelo económico, que designo como capitalismo de catástrofe". Viriato Soromenho-Marques é professor catedrático de Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e membro do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa. É membro correspondente da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia da Marinha.

O autor de mais de quatro centenas de obras - entre as quais vinte livros sobre temas filosóficos, ambientais e estratégicos- introduz a problemática. "A Grande Anomalia não começou ontem. Veremos nesta conferência algumas das etapas da sua formação, assim como as sombras que ela projeta intensamente sobre o futuro existencial da humanidade e da própria casa planetária. A Grande Anomalia lança-nos o repto de refundar o Comum tendo como horizonte a tarefa de reinventar a habitação humana e partilhada da Terra".

No decorrer da sua elocução articulou o federalismo, a crise ambiental e/ou climática e modelos de governança global.