Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Futebol Global - Da Formação ao Alto Rendimento

Reportagem do Seminário de Formação Contínua Futebol Global - Da Formação ao Alto Rendimento



No dia 2 de novembro, o Salão Nobre da Universidade Lusófona do Porto recebeu o Seminário de Formação Contínua Futebol Global - Da Formação ao Alto Rendimento, organizado pela Associação Nacional de Treinadores de Futebol (ANTF) com o apoio da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). O pretexto do evento foi promover aos participantes um vasto leque de conhecimentos ligados ao mundo do futebol e essencialmente à sua formação de treinadores e jogadores.

O Seminário iniciou-se com a intervenção de José Pereira, Presidente da Direção da ANTF, que brevemente apresentou os membros da associação e explicou os regulamentos e consequentes alterações das matrizes e das leis em vigor.

De seguida, Pedro Dias, Diretor e Coordenador da FPF, veio apresentar a perspetiva da federação face à formação dos treinadores de futebol. A sua abordagem passou por explicar as oportunidades para os treinadores de futebol em Portugal, o seu modelo estatal de formação e o respetivo acesso à carreira. O formador destacou ainda as vias de acesso para alcançar o estatuto profissional de treinador de futebol e reforçou a ideia de que um treinador é um líder que tem de estar sempre no terreno.

O docente da Universidade Lusófona do Porto, professor no curso de Educação Física e Desporto, Filipe Casanova, trouxe a palco a importância da formação académico-desportiva dos treinadores de futebol. Brevemente explicou os patamares de desenvolvimento de competências para se ser treinador e em prol disto apresentou o programa curricular do curso que leciona - deixou em novidade a possível abertura de um Mestrado de Treino Desportivo em Futebol na respetiva instituição. Finalizou, deixando em cima da mesa os seus objetivos de transmitir aprofundadamente conceções e de desenvolver o melhor quadro de alunos formados em futebol.

"A alegria de jogar futebol é a palavra-chave", mencionou Joaquim Milheiro, Coordenador Técnico das Seleções de Formação da FPF e treinador nacional dos sub-15. Para este profissional é importante conhecer as etapas de desenvolvimento de um jogador de futebol, destacando a necessidade de adaptar o futebol à faixa etária. No entanto, referiu que o essencial é criar nos jovens relações específicas com a modalidade que tragam motivação e capacidade de gerir desafios e obstáculos.

O formador seguinte deu principal importância àquele que deve ser o papel de um treinador de futebol, pois este é "quem tem a palavra fundamental", referiu Manuel Nunes. Ao longo da sua palestra, falou sobre a interdependência da qualidade da prática desportiva e da qualidade dos agentes desportivos intervenientes, e mecionou a figura central e a referência que é um treinador para o processo futebolístico.

Rui Pacheco, coordenador de formação de futebol, apresentou a sua perspetiva sobre a implementação e desenvolvimento de um Departamento de Futebol de Formação como local de promoção à atividade para os mais novos, partilhando então das ideias de Joaquim Milheiro. Centrou também a sua preocupação naquelas que serão as aptidões dos jogadores do sexo masculino e do sexo feminino.

Vítor Maçãs, atual treinador do Vila Real, refletiu sobre o treino e o jogo de futebol, focando-se nas diferentes perspetivas e nos diversos contextos desenvolvidos tanto pelos treinadores como pelos jogadores para organizarem em conjunto a melhor tática de jogo. O convidado Rui Quinta, gerente do Lusitânia de Lourosa, falou sobre a construção e a operacionalização das ideias de jogo, e referiu ainda o treinador como "figura determinante de todo o processo". A sua intervenção foi repleta de vídeos estratégicos que mostraram como o mesmo trabalha em função do rendimento da sua equipa.

Por sua vez, Henrique Calisto, antigo jogador de futebol português, salientou aqueles que devem ser os princípios gerais, operacionais e específicos que servem de alicerce ao sistema de conhecimento tático e de construção teórica do jogo. Falou ainda sem medos que os objetivos fundamentais de cada equipa são exatamente não sofrer golos e marcar golos.

Na continuação do evento, Vítor Oliveira, treinador de futebol do Gil Vicente, abriu a conversa para a sua "filosofia de jogo". Mencionou a necessidade de estabelecer relações diretas entre a qualidade do treinador e a qualidade dos jogadores, daí que, na sua ótica, devem-se buscar jogadores que se adaptem à forma que o treinador pensa o jogo. Também declarou os claros equilíbrios e desiquilíbrios que oscilam nas ligas portuguesas e paralelamente nas restantes ligas europeias.

Pepa, gerente do F.C. Paços de Ferreira, veio falar um pouco daquele que foi o seu percurso como jogador de futebol e posteriormente do seu percurso como treinador. "Temos de fazer tudo pela nossa paixão", disse, destacando assim a sua determinação e ambição pelo mundo futebolístico. Ainda proporcionou aos participantes as suas ideias sobre técnicas e métodos de trabalho.

O seminário foi encerrado por Manuel Cajuda, treinador de futebol, que animadamente partilhou a sua história e a sua experiência como treinador no estrangeiro, e que mencionou também a importância de ultrapassar os obstáculos e de atingir os objetivos traçados. Debateu ativamente com o público, a quem agradeceu por serem constantemente fonte do seu conhecimento e da sua aprendizagem.

Foi desta forma que terminou o Seminário de Formação Contínua Futebol Global - Da Formação ao Alto Rendimento, com especiais agradecimentos a todas as entidades intervenientes, tais como a Universidade Lusófona do Porto que gravou na íntegra o evento para ser disponibilizado aos (futuros) treinadores de futebol que vivem nos Arquipélagos da Madeira e dos Açores.