Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Reportagem - Ciclo de Conferências - "Do Estranho"

Interrogações através de vários ângulos, da estética à política, do pensamento crítico à economia.

A Faculdade de Comunicação, Arquitetura, Artes e Tecnologias da Informação (FCAATI) da Universidade Lusófona do Porto (ULP) e o Teatro Municipal do Porto apresentam um ciclo anual de conferências - com periodicidade mensal - em que o objetivo consiste na criação de um espaço de pensamento que proporcione a reflexão e o questionamento de alguns dos temas mais importantes da contemporaneidade, procurando uma aproximação entre a comunidade académica e a vida cultural, artística e científica da cidade.

"A partir das perspetivas de especialistas, universitários e artistas portugueses e internacionais sobre temas de atualidade, propõe-se intervir nas práticas comunicacionais de análise e discussão de ideias, de forma aberta e plural. O primeiro Ciclo de Conferências (2018) é dedicado ao tema "Do Estranho", o qual será interrogado através de vários ângulos, da estética à política, do pensamento crítico à economia" - Isabel Babo Lança, Reitora da Universidade Lusófona do Porto, em declarações ao site oficial do Teatro Municipal do Porto (Rivoli).



A sessão abriu o novo ciclo anual de conferências dedicado ao tema Do Estranho, que visa estimular o debate sobre questões da atualidade, numa iniciativa conjunta da Universidade Lusófona do Porto (ULP) e o Teatro Municipal do Porto (TMP). De forma a dar arranque a esta iniciativa que junta estas duas instituições de grande relevância na troca de conhecimento e descobrimento pessoal e coletivo, a primeira conferência alberga - sob a alçada do teatro municipal do porto - a questão "ESTRANGEIROS E ESTRANHOS" - o título da conferência que a filósofa Maria Filomena Molder, ex-professora de Estética na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, deu na passada terça-feira, pelas 18 horas, no Rivoli.

A preceder a conferência, Tiago Guedes, diretor do TMP, José Bragança de Miranda e Isabel Babo, respetivamente - professor convidado e reitora da ULP - fazem a abertura formal da sessão, que encerra com a projeção do filme "TODAS AS CARTAS DE RIMBAUD" (2017), de Edmundo Cordeiro. A obra vai ao encontro do universo de Maria Filomena Molder, a leitora de Goethe, Kant ou Rimbaud.



Em fevereiro e no decorrer da segunda conferência, José Gomes Pinto - doutorado em filosofia e docente da Licenciatura de Artes Performativas e Diretor do Doutoramento em Artes dos Media, na Universidade Lusófona de Lisboa abordou a temática de "COMO PENSAR A NEGATIVIDADE".

A terceira conferência, a 6 de março, deu voz à reflexão filosófica e intrínseca sobre a relação com o outro. "O ARCO-ÍRIS DA HOSPITILIDADE - HOSPITILIDADE'S - CENAS DA RELAÇÃO AO OUTRO", foi o tema a ser abordado numa conferência com Fernanda Bernardo, da Universidade de Coimbra.

A sessão integrou o ciclo "DO ESTRANHO" que, a partir das perspetivas de especialistas, universitários e artistas portugueses e internacionais sobre temas de atualidade, se propõe intervir nas práticas comunicacionais de análise e discussão de ideias, de forma aberta e plural.

Além de professora de filosofia contemporânea na Universidade de Coimbra, Fernanda Bernardo é autora e tradutora (de Jacques Derrida, entre outros). Está também, desde há muito, filosoficamente posicionada na Desconstrução, trabalhando na interseção da filosofia com a literatura, a poética, as artes do visível, a ética e a política.

Este foi o seu contributo na interrogação que o ciclo de conferências está a lançar sobre o tema "Do Estranho" através de vários ângulos, da estética à política, do pensamento crítico à economia.

Todas as palestras têm como palco o Rivoli, sendo óbvia a importância dada a esta questão, visto que este é o Teatro Municipal do Porto - casa para a inquietude e procura de respostas. Todos os meses, uma análise diferente sobre o mesmo tema central: o estranho.