Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Uma perspetiva sobre o comum

A sessão contou com a participação de José Bragança Miranda e Tiago Guedes



Na passada terça feira, o teatro Rivoli recebeu mais uma conferência subordinada ao tema: Do Comum.

A sessão, que marcou o encerramento do ciclo de conferências, contou com a participação de José Bragança Miranda (Professor Catedrático convidado na Universidade de Lisboa) e de Tiago Guedes (Diretor do Teatro Municipal do Porto).

A preceder o evento, a Reitora da Universidade Lusófona do Porto começou por agradecer a parceria com o Rivoli. Segundo a Professora Isabel Babo, a comunidade tem a sorte e a oportunidade de "ocupar um espaço nobre da cidade" que "permite debater o pensamento contemporâneo fora das paredes da Instituição".

Na mesma linha discursiva, o Professor Manuel Bugalheiro (presente na condição de moderador) agradeceu à equipa de trabalho do teatro por "tratarem até dos mais ínfimos pormenores" em todos os eventos.

Terminadas as apresentações, Tiago Guedes foi primeiro a intervir.

Na apresentação convocou seis dos 90 espetáculos que decorreram no teatro no presente ano. (100% Porto; P.E.D.R.A; Margem; A melhor língua do mundo; Ordinary people; Do you remember that time we were together and dance this or that?)

O Diretor do Rivoli exibiu, assim, aqueles que, no seu prisma, foram os espetáculos que melhor convergiram com a temática deste ciclo de conferências, mostrando que é possível "tornar a arte num bem comum".

Por sua vez, José Bragança Miranda fez uma retrospetiva dos problemas "do comum", viajando até ao século 19, onde abordou temas como o Teologismo e Marxismo.

Paradoxalmente, o Professor mencionou ainda a importância das novas tecnologias e as formas emergentes de conectividade, que nos fazem repensar o conceito do comum.

Terminado este ciclo anual de conferências, dedicado ao tema Do Comum, a Universidade Lusófona do Porto (ULP) e o Teatro Municipal do Porto (TMP), não perderam tempo e anunciaram um novo ciclo, intitulado de "olhares da terra", que deverá dar início já em janeiro de 2020.