Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Avaliação Psicológica em Contexto Forense

Curso

Psicologia da Justiça: Vítimas de Crime

Grau|Semestres|ECTS

Mestrado | Semestral | 6

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

150 | 60

Código

ULP1960-6486

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Modalidade de Ensino

Face-a-face

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. Introdução à Psicologia Forense
1.1. Enquadramento e evolução conceptual
1.2. Especificidades e objetos de estudo
1.3. Áreas de atuação
2. Enquadramento legal da prova pericial e o papel do psicólogo enquanto perito forense
3. Processo de avaliação forense: características, problemas técnicos e questões éticas
4. Avaliação forense no contexto de processo penal
4.1. Avaliação psicológica de vítimas adultas
4.2. Avaliação psicológica de crianças e jovens
5. Avaliação forense no contexto de processo cível
5.1. Avaliação psicológica do dano em processo cível
5.2. Avaliação psicológica das responsabilidades parentais nos casos de separação e divórcio
6. O relatório psicológico forense (objetivos, especificidades e recomendações)
7. O testemunho do perito em tribunal: orientações específicas

Objetivos

A presente UC visa o desenvolvimento de conhecimentos no domínio da Psicologia forense e a sua evolução conceptual. De forma mais circunstanciada, pretende-se capacitar os estudantes com as competências teórico-práticas necessárias à atividade do psicólogo neste contexto, nomeadamente no que se refere à definição de procedimentos avaliativos; às estratégias e instrumentos de avaliação utilizados; à elaboração de relatórios psicológicos forenses; e ao testemunho do perito em contexto judicial.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Esta UC pretende desenvolver nos estudantes as seguintes competências: aquisição e integração de princípios e conceitos neste domínio científico e as suas especificidades; desenvolvimento de práticas de conduta ética e de responsabilidade; capacidade de planeamento e implementação de metodologias de avaliação adequadas às especificidades dos casos; aquisição de competências de elaboração de relatórios forenses; e o desenvolvimento de competências específicas de intervenção em contexto judicial.

Metodologias de ensino e avaliação

Metodologias: Exposição oral dos conteúdos teóricos com recurso a materiais audiovisuais; análise e discussão de casos práticos; treino prático de competências e técnicas de avaliação; execução de relatórios psicológicos forenses.

A avaliação será realizada mediante as seguintes modalidades, a optar pelos estudantes:
Avaliação contínua em regime presencial: A avaliação da disciplina será baseada na realização de duas provas escritas para avaliação de conhecimentos teóricos (com uma ponderação de 50% para a nota final) e na realização de uma perícia psicológica forense a partir de casos facultados (ponderação de 50%).Os/as estudantes terão de ter uma nota mínima de 8 valores em cada um dos elementos de avaliação. Os estudantes que não tenham obtido aprovação à UC por avaliação contínua ficam admitidos a exame em época normal (100%).

Bibliografia principal

Arce, R., Fariña, F. y Novo, M. (Eds.) (2005). Psicología Jurídica. Xunta de Galicia: Santiago de Compostela.
Fonseca, A. C., Simões, M. R., Taborda Simões, M. C., & Pinho, M. S. (2006). Psicologia forense. Coimbra: Ed. Almedina.
Matos, M., Gonçalves R. & Machado, C. (2011). Manual de Psicologia Forense. Braga: Psiquilíbrios Edições.
Sierra, J. C., Jiménez, E. M., & Buela-Casal, G. (Coords.) (2006). Psicología forense: manual de técnicas y aplicaciones. Madrid: Editorial Biblioteca Nueva.
Weiner, I. B., & Hess, A. K (Eds.) (2005). Handbook of forensic psychology. New York: John Wiley & Sons.