Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Desenho, Planeamento e Avaliação de Programas de Intervenção

Apresentação

A presente unidade curricular visa a aplicação prática de modelos teóricos que orientam o desenvolvimento de programas de prevenção, tendo por base a evidência. Os estudantes vão ter oportunidade de conhecer e debater as bases teóricas que orientam o desenho destes programas, os seus procedimentos e metodologias, aplicados a casos com validade ecológica ao nível das boas práticas nacionais e internacionais em matéria de infância e juventude.

Curso

Justiça Juvenil e Proteção de Crianças e Jovens em Perigo (M) (ULP)

Grau|Semestres|ECTS

| Semestral | 6

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Código

ULP6037-21731

Disciplinas complementares recomendadas

Metodologias de Investigação Qualitativa

Metodologias de Investigação Quantitativa 

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

Descrição dos conteúdos

CP1. Principais conceitos na conceção de programas de intervenção

1.1.1. Conceptualização do problema e racional teórico

1.1.2. Variável resultado

1.1.3. Modelos de processo: revisão de literatura

1.1.3.1. Tabela da balança

1.1.3.2. Exercícios

1.1.3.3. Ferramentas e técnicas

1.2. Abordagem Sistémica no processo de planeamento, conceção e implementação de programas de intervenção

CP2. Planeamento e conceção de programas de intervenção com crianças/jovens

2.1. Modelo lógico de planeamento de um programa

CP3. A avaliação e monitorização de programas de intervenção com crianças/jovens

3.1. Diagnóstico de necessidades

3.2. Avaliação do impacto (e.g., eficiência, eficácia, sustentabilidade)

3.3. Monitorização e revisão do programa

CP4. Programas de intervenção com crianças e jovens sinalizados nos sistemas PP e JJ

4.1. Principais características e critérios de sucesso

4.2. Exemplos de boas práticas nacionais e internacionais

Objetivos

OA1: Compreender e debater os conceitos-chave relacionados com o desenho, planeamento e avaliação de programas de intervenção dirigidos a crianças e jovens, tomando como referência a abordagem de planeamento do Modelo Lógico

OA2: Compreender e debater os critérios de avaliação de programas de intervenção neste domínio

AO3: Conhecer e rever exemplos de boas práticas a nível nacional e internacional

OA4: Aplicar e integrar os conhecimentos teóricos no desenho de um programa de intervenção com crianças e jovens

Metodologias de ensino e avaliação

As metodologias de ensino incluem aulas de natureza expositiva com recurso a materiais audiovisuais (ME1), análise de artigos científicos (ME2), pesquisa bibliográfica (ME3), pequenos grupos de trabalho e feedback (ME4). As horas de trabalho autónomo asseguram a leitura da bibliografia principal e o trabalho de grupo. A avaliação será realizada mediante as seguintes modalidades: uma prova escrita (40%); um trabalho de grupo que pressupõe a apresentação oral e redação de um relatório escrito (55%); Qualidade da participação oral e envolvimento (5%). A avaliação das componentes teórica e prática é independente, sendo necessária nota não inferior a 9.5 valores em cada componente; a classificação final resulta da média ponderada destas classificações. Os estudantes que tenham uma avaliação final inferior a 9,5 valores transitam para exame de recurso e os elementos de avaliação com avaliação não inferior a 9.5 são congelados.

Bibliografia principal

Buunk, A., & Van Vugt, M. (2007). Applying Social Psychology: From Problems to Solutions. London: SAGE Publications Ltd. 

Buchart, A., Harvey, A., Mian, M. & Furniss, T. (2006). Preventing child maltreatment: a guide to taking action and generating evidence. Geneva: World Health Organization.

Carvalhosa, S., Domingos, A. & Sequeira, C. (2010). Modelo lógico de um programa de intervenção comunitária - GerAcções. Análise Psicológica, 2 (3): 479-490.

Kaplan, S. A., & Garrett, K. E. (2005). The use of logic models by community-based initiatives. Evaluation and Program Planning, 28, 167-172.

Teasdale, B. & Bradley, M. (eds.) (2017). Preventing Crime and Violence. Switzerland: Springer.

Trickett, E. J. (2009). Multilevel community-based culturally situated interventions and community impact: An ecological perspective. American Journal of Community Psychology, 43, 257-266.

Horário de Atendimento

Nome do docente  

Horário de atendimento

Sala