Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Desafios da Diversidade em Intervenção Social

Apresentação

Tratando a UC de representações altamente dependentes de crenças individuais socialmente construídas, com inevitáveis consequências interpessoais, as metodologias privilegiarão a reflexão crítica, a discussão colectiva de situações da realidade quotidiana, dinâmicas de grupo e a auto-análise. O recurso aos métodos expositivos, complementados, pela revisão crítica da evidência empírica e pela partilha de experiências servirão para: (i) discutir os conceitos-chave e reflectir sobre as expressões da diversidade (e.g., sexo/género, sexualidade/orientação sexual, religião, etnia, idade, ...); (ii) problematiza-las teórica e sociopoliticamente; (iii) discutir os processos cognitivos e de socialização associados ao preconceito e construção de identidades sociais; (iv) discutir o impacto do estigma social e antecipar as suas consequências; (v) e introduzir as práticas e contextos para intervenção na diversidade junto de famílias, crianças e jovens.

Curso

Justiça Juvenil e Proteção de Crianças e Jovens em Perigo (M) (ULP)

Grau|Semestres|ECTS

| Semestral | 3

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Código

ULP6037-21729

Disciplinas complementares recomendadas

Comportamento Antissocial na Infância e Adolescência

Psicopatologia do Desenvolvimento

Vitimologia na Infância e Adolescência

Sinalização, Avaliação de Risco e Tomada de Decisão 

Intervenção Psicossocial no Sistema de Justiça Juvenil

Intervenção Psicossocial no Sistema de Promoção e Protecção

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

CP1. Perspetivas evolutivas, sociológicas e psicológicas
- História e diversidade
- Mudividências e identidades culturais
- Essencialização: racialização, binarismo sexual e de género, capacitismo
CP2. Processos cognitivos e motivacionais 
- Identidades, estereótipos e preconceito
- Desigualdade, violência estrutural e saúde mental
- Globalização, hegemonia e desinformação
CP3. Estruturas sociais e podução da desigualdade
- Hierarquização da diferença e dos direitos: igualdade/liberdade
- Invisibilização e discriminações ¿subtis¿
- Competição e conflitualidade social, criminalidade e delinquência 
- Estatuto e mobilidade social, trabalho, mercado e exploração
- Migrações e políticas da multiculturalidade
CP4. O papel dos media 
- Media e mediatização do mundo
- Produção e representação da delinquência e risco
CP5. Intervenção social
- Integração social pela formação em media
- Boas práticas e intervenção social empiricamente validada
CP6: Metacompetências éticas e de auto-observação crítica

Objetivos

OA1. Contextualizar a ¿diversidade¿ enquanto fenómeno intrínseco à condição humana e 
desenvolvimento
OA2. Reconhecer e discutir a importância da diversidade no desenvolvimento da identidade 
psicossexual e social e no posicionamento individual nas estruturas sociais 
OA3. Articular os mecanismos cognitivos, afectivos e motivacionais da diferenciação social, e as 
consequências do preconceito (e.g., discriminação e exclusão), como representação estereotípica 
e redutoras da normatividade 
OA4. Analisar e discutir as implicações individuais e coletivas da hierarquização e redução da
diversidade, em particular para as famílias, crianças e jovens
OA5. Analisar e discutir o papel dos media na estruturação e formatação da normalidade e
diversidade 
OA6. Analisar criticamente os modelos de intervenção empiricamente suportados e as boas 
práticas, internacionais e nacionais, contrastando-os com as respostas a crianças e jovens em 
risco protagonizadas pelo Estado, privados, ou Terceiro Setor

 

Metodologias de ensino e avaliação

A metodologia de ensino baseia-se na discussão dos temas da realidade social abordada, remetendo para a exposição das abordagens teóricas e empíricas e na análise e discussão de casos práticos. O apoio tutorial orientará a leitura e discussão da literatura, académica e científica, actual e relevante, e a resolução de problemas práticos em grupos de trabalho. 

A classificação final resulta da média ponderada das classificações nos seguintes elementos de avaliação: prova escrita (30%); (ii) trabalho individual de reflexão pessoal e ética em tornos dos temas 2 e 3 (i.e., processos cognitivos e motivacionais e desigualdade estrutural) (20%); (iii) trabalho de grupo com apresentação oral sobre os ponto 4 (media) ou 5 (intervenção social) (30%); e (iv) qualidade da participação individual nas aulas (20%). A avaliação recurso consiste numa prova escrita de conhecimentos (50%) e na entrega de um trabalho individual (50%).

 

Bibliografia principal

Blaine, B. E., & Brenchley, K. J. M. (2017). Understanding the psychology of diversity. Sage 

Cabral, J. (in press). Desigualdade social e vitimação. In Manual de vitimologia e criminologia. Lisboa: Pactor  

Dixon, J., & Levine, M. (Eds.). (2012). Beyond prejudice: Extending the social psychology of conflict, inequality and social change. Cambridge University Press

Gardiner, H. W., & Kosmitzki, C. (2011). Lives across cultures: Cross-cultural human development. Allyn & Bacon/Pearson

Iadicola, P., & Shupe, A. (2012). Violence, inequality, and human freedom. Rowman & Littlefield

Ravenscroft, A., Dellow, J. Brites, M. J., Jorge, A. & Catalão, D. (2018). RadioActive101-Learning through radio, learning for life: an international approach to the inclusion and non-formal learning of socially excluded young people. International Journal of Inclusive Education.

Vala, J., & Monteiro, M. B. (2013). Psicologia social (No. 9ª edição revista e actualizada). Fundação Calouste Gulbenkian.

 

Horário de Atendimento

Nome do docente  

Horário de atendimento

Sala