Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Métodos e Técnicas de Análise Política III

Apresentação

"Métodos e Técnicas de Análise Política III: Aprofundando a Tradição Não-Positivista" explora, na teoria e na prática, os métodos e técnicas de análise política radicados na família não-positivista, com particular destaque para a investigação centrada em sequências reactivas, a análise crítica de discurso, a investigação centrada em entrevistas e painéis, a observação participante, e a análise de risco político.

Curso

Ciência Política e Estudos Eleitorais (ULP)

Grau|Semestres|ECTS

| Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Código

ULP618-7454

Disciplinas complementares recomendadas

Métodos e Técnicas de Análise Política I; Métodos e Técnicas de Análise Política II.

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1) A orientação fundacional para a imersão no contexto e no universo mental dos agentes

 

2) Princípios básicos: hermenêutica e contingência

 

3) Os principais modelos de investigação politológica incorporando métodos e técnicas de recolha, codificação, tratamento e análise de dados tendencialmente não-positivistas

a) A investigação centrada em sequências reactivas

b) A análise crítica de discurso

c) A investigação centrada em entrevistas e painéis

d) A observação participante

e) A análise de risco político

Objetivos

Compreender as bases e a agenda científico-filosóficas peculiares subjacentes aos métodos e técnicas na órbita da politologia não-positivista. Ter noção do que implica conceber e executar uma investigação politológica utilizando os seis agrupamentos modelares de métodos e técnicas abordados. Ser capaz de projectar uma investigação politológica concreta utilizando um dos agrupamentos modelares de métodos e técnicas abordados.

Metodologias de ensino e avaliação

Aulas de índole teórica, baseadas na exposição dos conteúdos programáticos, combinadas com um conjunto de aulas práticas dedicadas à apresentação de trabalhos.

A avaliação contínua ponderará: um teste intercalar incidindo sobre os dois primeiros blocos de conteúdos programáticos (50%); e um trabalho de grupo, a apresentar em aula, incidindo sobre um (à escolha) dos seis agrupamentos modelares de métodos e técnicas abordados ao abrigo do terceiro bloco de conteúdos programáticos (50%).

A avaliação não-contínua será feita através de um exame final abrangendo os dois primeiros blocos programáticos, e três (à escolha) dos seis agrupamentos modelares de métodos e técnicas abordados ao abrigo do terceiro bloco de conteúdos programáticos.

Bibliografia principal

BAUMAN, Z. (2010) [1978]. Hermeneutics and social science: approaches to understanding. London: Routledge.

 

BEVIR, M. & RHODES, R. A. W. (2018). Routledge handbook of interpretive political science. Milton Park: Routledge.

 

GOODIN, R. E. & TILLY, C. (Eds.) (2008). The Oxford handbook of contextual political analysis. New York: Oxford University Press.

 

GOULD-DAVIES, N. (2019). Tectonic politics: global political risk in an age of transformation. Washington: Brookings Institution Press.

 

HALPERIN, S. & HEATH, O. (2020). Political research: methods and practical skills. 3ª Edição. Oxford: Oxford University Press.

 

KATZNELSON, I. (2003). Periodization and preferences: reflections on purposive action in comparative historical social science. In J. Mahoney & D. Rueschemeyer (Eds.), Comparative historical analysis in the social sciences (pp. 270-301). Cambridge: Cambridge University Press.

 

TALEB, N. N. (2018). O cisne negro: o impacto do altamente improvável. 9ª Edição. Alfragide: Dom Quixote.

Horário de Atendimento

Nome do docente  

Horário de atendimento

Sala