Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Política Internacional

Curso

Estudos Europeus, Estudos Lusófonos e Relações Internacionais (ULP)

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

135 | 45

Código

ULP290-10051

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Modalidade de Ensino

Face-a-face

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. Assuntos introdutórios:
a. correntes doutrinais sobre a sociedade internacional
b. Princípios das relações internacionais
c. características e desafios da sociedade da sociedade internacional
2. Os agentes das relações internacionais
3. Os condicionantes das relações internacionais: a) O fator geográfico. b) O fator demográfico. c) O fator económico. d) O fator científico-tecnológico. e) O fator militar. f) O fator cultural.

Objetivos

1. Apresentar elementos aprofundados sobre os agentes e os condicionantes das relações internacionais; as conceções sobre a sociedade internacional; as caraterísticas dessa sociedade; e os princípios das relações internacionais.
2. Ajudar a compreender, a interpretar e a prever o comportamento dos agentes das relações internacionais, principalmente dos Estados, enquanto principais atores das relações internacionais.
3. Preparar para desempenhar corretamente funções em órgãos de governação, em multinacionais e em organizações governamentais e não governamentais, principalmente no âmbito da União Europeia e dos Estados Membros da CPLP.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Os candidatos-alunos ficam (devem ficar) capacitados para compreender, interpretar e prever o comportamento dos agentes das relações internacionais, principalmente dos Estados, enquanto principais agentes das relações internacionais; e para desempenhar funções em órgãos de governação, de multinacionais e de organizações supra e transnacionais, principalmente, segundo o indicado, no âmbito da União Europeia e dos Estados Membros da CPLP.

Metodologias de ensino e avaliação

1. Em cada sessão de trabalho, o docente:
a). Indica o esquema do assunto a desenvolver; e apresenta os principais conhecimentos sobre ele.
b). Apela à participação dos alunos presentes.
2. No final de cada sessão, indica o assunto a desenvolver na próxima sessão; e distribui elementos bibliográficos para compreender esse assunto.
3. Defende-se a avaliação contínua. Por isso:
a). É exigida a realização de um trabalho sobre um dos assuntos incluídos no programa. A sua classificação é de 0 a 20 valores.
b). São realizados dois testes. Cada teste recebe a classificação de 0 a 20 valores.
c). A classificação final (da avaliação contínua) é a soma das classificações obtidas nos três momentos de avaliação, dividida por três.

Bibliografia principal

Almeida, P. V. (1990). Do poder do pequeno Estado. Lisboa: ISCSP.
Clemens, W. C. (1998). Dynamics of International Relations, Conflit and Mutual Gain in Age of Global Interdependence. N.Y.: Mariland, Littlefield Publishers.
Gray, C. S. (1997). Globalization and Fragmentation: International Relations in the Twentieth Century. Oxford: Oxford university Press.
Maltez, J. A. (2002). Curso de relações internacionais. Lisboa: ISCP.
Martins, Manuel Gonçalves (2003). Relações e desafios internacionais na era da globalização, Sintra, Pedro Ferreira editor.
Martins, Manuel Gonçalves, (2016). Desafios das relações internacionais, Lisboa, Chiado Editora.
Kennedy, P. (1992). Desafios para o século XXI. Lisboa: Publicações Europa América.
Kennedy, P. (2002). Global Trends and Global Governance. Sterling: Pluto Press.
Senarclens, P. (2002). La politique international. Paris: Armand Colin.
Vaisse, M. (2009). As relações internacionais desde 1945. Lisboa: Edições 70.