Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Movimentos Políticos e Sociais

Curso

Estudos Europeus, Estudos Lusófonos e Relações Internacionais (ULP)

Grau|Semestres|ECTS

Licenciatura | Semestral | 5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

2 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

135 | 45

Código

ULP290-14760

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Modalidade de Ensino

Face-a-face

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

1. A problemática dos Movimentos Sociais desde a perspetiva histórica à sociológica
1.1. Movimentos políticos e sociais pré ¿ modernos e pré- industriais.
1.1.1. Teorias de Eric Hobsbawm
1.1.2. Teorias de E.Thompson
1.1.3. Teorias de Charles Tilly

2.Movimentos Modernos
2.1. Movimento operário
2.1.1. Formação histórica da classe operária como identidade coletiva
2.1.2. Formas de protesto e modelos de estratégia política e sindical

3. Os Movimentos da sociedade pós-industrial
3.1. As teorias de Touraine, Habermas e Melucci
3.2.Movimentos pelos direitos civis
3.3. Movimento feminista
3.4. Movimento ambientalista e pacifista

4. Novos Movimentos Sociais
4.1. Teorias sobre os NMS
4.2. Movimentos sociais dos anos 60/70 do século XX
4.3. Movimentos transnacionais: globalização e as redes sociais
4.4. Movimentos do século XXI na Europa

5. Movimentos políticos do século XVIII-XX
5.1. Revolução Americana
5.2. Revolução Francesa
5.3. Revolução Portuguesa de 1974

Objetivos

Entender a formação dos Movimentos políticos e Sociais
Compreender a evolução dos Movimentos Sociais e Políticos dos clássicos aos modernos
Conhecer os novos Movimentos Sociais na Europa
Mostrar a relação entre sociedade, conflito e revoluções

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Aprofundar o conhecimento dos acontecimentos mais significativos da ação coletiva dos últimos dois séculos
Capacidade de análise e síntese
Capacidade de entendimento da política e sociedade do mundo contemporâneo

Metodologias de ensino e avaliação

O método é teórico-prático. Baseia-se na apresentação e exposição dos conteúdos programáticos, recorrendo, quando for pertinente, à leitura e análise de textos, de modo a promover a participação dos alunos na discussão crítica das questões apresentadas. A avaliação é contínua e é constituída por dois testes (valendo 30% cada um) e um trabalho escrito e defendido oralmente (correspondendo a 30%), a que se acresce a participação nas aulas ao longo do semestre (10%). Cada momento de avaliação recebe a classificação de 0 a 20 valores, e da média obtida resulta a classificação final. O estudante fica aprovado se, na ponderação total destes elementos, obtiver classificação igual ou superior a 10 (dez).

Bibliografia principal

Castells, M. (2013). Redes de Indignação e Esperança. Movimentos Sociais na era da Internet. Rio de Janeiro: Zahar.
Gohn, M.G. (2010). Teorias dos Movimentos Sociais. Ed. Loyola.
Gohn, M.G. (2011). Movimentos Sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação. V 47, 333-361.
Della Porta, D. et al.(2018). Social Movements and Civil Wars: When Protest for Democratization Fails. Londres: Routledge.
Della Porta, D.; Caiani. M. (2009). Social movements and Europeanization. Oxford: Oxford University Press.
Kaplan, G. (2001). New Social Movements. In Encyclopedia of European Social History, from 1350 to 2000. New York: Charles Scribner¿s Sons, 289-301.
Silva, C.T(2014). Social Movements in Contemporary Portugal.European Journal of Social Sciences Education and Research. V.1, 36-43.
Tarrow, S. (2004). Poder em Movimiento. Madrid:Ed Riaz.
Tilly, C. (2009). Los movimientos sociales, 1768-2008. Barcelona