Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Materialidades da Imagem

Curso

Arte dos Media (ULP)

Grau|Semestres|ECTS

Doutoramento | Semestral | 7,5

Ano | Tipo de unidade curricular | Lingua

1 |Obrigatório |Português

Total de horas de Trabalho | Tempo de Contacto (horas)

187,8 | 45

Código

ULP1962-15357

Disciplinas complementares recomendadas

Não aplicável

Modalidade de Ensino

Face-a-face

Precedências

Não

Estágio profissional

Não

Conteúdos Programáticos

O corpo dos media, o corpo da imagem.
Tempo, espaço e imagem. A imagem do tempo.
A cinemática. As artes do tempo.
Plasticidades da imagem.
As artes da imagem e as outras artes.
O plural singular da arte. A arte e as artes. Medium e pós-medium.
O campo expandido da imagem. Imagem e media.
Novos e velhos media. Obsolescência. Inoperatividade e reapropriação dos media.
Arqueologias dos media. Variabilidade e remediação.
Som, texto e imagem na era do digital.
Mediação, experimentação, afecção.
A arte do falhanço. Modelos gaguejantes dos media. Arte e experimentação: os laboratórios da arte. O atelier como lugar de experimentação.
A génese do espectador moderno.
O aparelhamento do olho. Subjugação e subjectivação.
O olho que cria ou a função imaginativa do olho. A imaginação cega.
Máquinas ópticas.
Histórias da arte e da técnica. Da pré-história do cinema ao digital. O lugar das imagens e do corpo.
Casos de estudo escolhidos do panorama da arte e cultura contemporâneas.

Objetivos

Problematizar o estatuto material das imagens no contexto da arte e cultura contemporâneas.
Estudar as relações entre espaço, tempo e imagem.
Discutir e aclarar a importância das relações entre os media e a tecnologia, sobretudo no ontexto actual da arte..
Introduzir os princípios básicos de uma plasticidade da imagem..
Desenvolver princípios de reflexão e de análise crítica.
Estabelecer uma relação crítica com o trabalho realizado noutras áreas curriculares e os projectos de investigação individuais.

Conhecimentos, capacidades e competências a adquirir

Espera-se que os estudantes possam atingir os objectivos propostos, de acordo com o programa e em cruzamento com os seus interesses de investigação.

Metodologias de ensino e avaliação

As aulas organizam-se preferencialmente em modo de seminário, o que significa a opção por um modelo participativo. Por um lado, em torno do comentário e debate sobre textos e material audiovisual. Por outro, em aulas onde serão expostas as questões fundamentais do programa. Em ambas as situações a metodologia de trabalho reger-se-á por ampla ilustração dos temas propostos.
As metodologias das aulas mais expositivas e das de análise e comentário, serão intercaladas e complementares. As primeiras têm como objectivo aclarar conceitos e práticas fundamentais para o assunto bem como sua contextualização. As segundas têm como objectivo o desenvolvimento da prática de análise e comentário a partir dos exemplos escolhidos e dos estudos de caso.

Bibliografia principal

AGAMBEN, G. (2005), Profanações, Lisboa, Edições Cotovia, 2006.
BENJAMIN, Walter (2006), A Modernidade, Lisboa, Assírio & Alvim.
BUREN, Daniel (1979), ¿A função do ateliê¿, in Anarquitectura de Andre a Zittel, Porto, Público/Fundação de Serralves, 2005, pp. 48-53.
CRARY, Jonathan (1990), Techniques of the Observer, Cambridge/London, MIT Press
FOSTER, Hal, Ed. (1988), Vision and Visuality, Seattle (WA), Bay Press.
KITTLER, Friedrich A. (1986), Gramophone, Film, Typewriter, Stanford (CA), Stanford Universty Pres
KLUITENBERG, Eric (2008), Delusive Spaces: Essays on Culture, Media and Technology, Rotterdam, NAi Publishers.
KOCKELKOREN, Petran (2003), Tecnhnology: Art, Fairground and Theatre, Rotterdam, NAi Publishers.
KRAUSS, Rosalind (1999), A Voyage on the North Sea: Art in the Age of the Post-Medium Condition, London, Thames & Hudson.
LEAL, Miguel (2010), A imaginação cega: Mecanismos de indeterminação na prática artística contemporânea, Tese de Doutoramento, Porto, FBAUP