Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Jornalismo e as histórias que ninguém vê

Como podemos dar voz ao mundo ao redor?

Aula Aberta

Data

-

Salão Nobre

13 Março 2018

Oradores

  • Sofia Pires, revista Plural & singular
  • Paulo Pimenta, fotojornalista, jornal Público 
  • Diogo Rodrigues, estudante da Universidade Lusófona do Porto
  • Grupo de teatro Crinabel

Resumo

A deficiência e invisualidade são, ainda, temas pouco abordados pelos meios de comunicação social.
Além disso, existem desigualdades no acesso à esfera pública, por parte desta população, conforme dão conta vários estudos sobre o tema.
Nesse sentido, com esta sessão, pretendemos não só dar voz a essa minoria, como é o caso do estudante de jornalismo Diogo Rodrigues e dos integrantes do grupo Crinabel, mas também desafiar atores sociais e comunicadores a refletirem connosco esta questão. Por exemplo, alguns projetos com relativa visibilidade têm já contribuído para valorizar e visibilizar esta minoria, nomeadamente o trabalho pessoal de fotografia que o fotojornalista Paulo Pimenta desenvolve há anos com o grupo de teatro da Crinabel - uma cooperativa com estatuto de utilidade pública sem fins lucrativos, fundada em 1975, criada por iniciativa de um grupo de Pais e de outras pessoas ligadas à reabilitação de crianças e jovens com atraso no desenvolvimento.
Outro exemplo é o da jornalista Sofia Pires, mentora da publicação Plural Singular, projeto editorial dedicado à temática da deficiência que lançou a 1.ª edição no início de dezembro de 2012. A revista, de periodicidade trimestral é distribuída por assinatura digital junto de pessoas com deficiência, cuidadores, instituições, profissionais, empresas e outras entidades ligadas a esta área.
Nesse sentido, Jornalismo e as histórias que ninguém vê - Como podemos dar voz ao mundo ao redor?