Contacto WhatsApp 961135355

Universidade Lusófona do Porto

Ciclo de Conferências - Do Estranho

O desafio passa por interrogar as passagens do Estranho na contemporaneidade

Debate

Data

-

Teatro Rivoli

04 Dezembro 2018

(Imagem da autoria de Jorge Molder, da série "Points of No Return")

Na vida irrompe sempre o Estranho. Na época planetária em que entrámos, a nossa relação com a
natureza e a história revela-se obscura, fonte de inquietação geral. A Faculdade de Comunicação, Arquitetura, Artes e Tecnologias da Informação da Universidade Lusófona do Porto e o Teatro Municipal do Porto dão continuidade ao ciclo anual de conferências Do Estranho, cujo desafio passa por interrogar as passagens do Estranho na contemporaneidade.

20 de novembro às 19h00

Estranhar o estranho. Os tempos de agora e a teoria queer.

Ana Luísa Amaral (Poetisa, tradutora e professora na Faculdade de Letras da Universidade do Porto)

Resumo

Assistimos hoje, no mundo ocidental, ao desmoronamento dos direitos sociais, a novas formas de exercício de violência social e económica e de coerção de liberdades, assim como a regras novas no jogo democrático - quando não ao seu apagamento. Simultaneamente, e no que às políticas sexuais diz respeito, novas configurações de organização social e de afetividades têm vindo a emergir, surgidas de um tipo de pensamento emancipatório grandemente devedor dos feminismos e dos movimentos sociais dos anos 1960. Procurarei debater a convivência destas duas realidades: o profundamente estranho, sobretudo para uma geração que viveu esses anos, destas novas formas de autoritarismo; e de como a teoria queer (=estranha, esquisita), com todas as suas implicações de ativismo e de pensamento radical, é vista pelas forças reacionárias e neo-fascistas como uma ameaça. E como o pensamento novo que ela traz, ao lado dos feminismos (e de mais uns “objetos estranhos”, como a poesia), pode ser um motor de resistência a estes nossos tempos.

Biografia

Ana Luísa Amaral. É autora de mais de três dezenas de livros, quer de poesia, quer de teatro, quer de ficção, quer infantis, quer de ensaio, e traduziu diferentes autores, como Emily Dickinson, William Shakespeare ou John Updike. Os seus livros estão traduzidos em várias línguas e publicados em países como Inglaterra, EUA, Espanha, Brasil, França, Suécia, Holanda, Venezuela, Itália, Colômbia ou México. Obteve diversos prémios e distinções, entre os quais a Medalha da Cidade de Paris, a Medalha de Ouro da Câmara Municipal do Porto, o Prémio Literário Correntes d’Escritas, o Premio di Poesia Giuseppe Acerbi, o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores, o Prémio PEN de Narrativa, o Prémio Fondazione Roma ou o Prémio de Ensaio da Associação Portuguesa de Críticos Literários. É professora aposentada da Faculdade de Letras do Porto e membro da Direção do Instituto de Literatura Comparada Margarida Lousa, onde coordena a linha Intersexualidades. As suas áreas de investigação são Poéticas Comparadas, Estudos Feministas e Teoria Queer.


4 de dezembro às 19h00

  • Tiago Guedes (TMP)
  • Mónica Guerreiro (Investigadora e curadora) - "Com os olhos encadeados pelo sol ardente"
  • Alexandra Balona (CMP) - "O Estranho inquietante na obra de Marlene Monteiro Freitas"