Universidade Lusófona do Porto

Reitoria

Isabel Babo Lança

Isabel Babo Lança
Reitora

A Universidade Lusófona do Porto (ULP), que integra o maior grupo privado português de ensino superior, tem a marca da sua juventude na cidade do Porto e o desígnio de contribuir para o desenvolvimento das dinâmicas educacionais, culturais e de investigação da sociedade em que se insere. Desígnio tão importante quanto o ensino, a investigação e a educação em geral são um pilar essencial de emancipação, formação pessoal, desenvolvimento e cidadania.

Defendemos que a universidade é um espaço de saber, de pensamento, de exame crítico das ideias, de ação e de comunicação livre e responsável. Sustentamos que compete à universidade ser interlocutora ativa na sociedade em que se insere, devendo participar nas ações e nos debates que fundam o espaço público de cidadania e intervir na construção de uma sociedade mais informada, mais desenvolvida e mais justa. Pensamos que todo o projeto de ensino e investigação precisa de tempo e dimensão histórica para se construir e consolidar, mas acreditamos também que só o poderá ser na medida em que se assuma como projeto de desenvolvimento, podendo a sua juventude constituir a força de abertura à qualidade, à diversidade, à inovação, à internacionalização e aos desafios do século em que vivemos e do mundo. É dentro deste espírito que a ULP detém como vocação a transmissão, difusão e criação de cultura, ciência e tecnologia, e a participação no desenvolvimento científico e cultural da cidade do Porto, da região em que se insere e do país. Através da formação superior, das atividades de disseminação, dos encontros científicos, das atividades culturais e de prestação de serviços à comunidade, a ULP intervém na vida académica e cultural da cidade. 

A ULP rege-se pelos princípios da Declaração de Bolonha que fundou a área europeia de ensino superior enquanto espaço coerente, compatível, competitivo e atrativo, de uma educação sem fronteiras. Nesse âmbito, promove um ensino de carácter generalista interdisciplinar nos primeiros ciclos de estudos e de especialização nos segundos ciclos. Encara como programa a aposta no desenvolvimento da investigação em 3º ciclo, ao mesmo tempo que assume a orientação fundamental do papel insubstituível da universidade na formação cultural, científica e tecnológica ao longo da vida. Esta cultura de ensino e investigação reverte-se no desenvolvimento de competências dos estudantes e no seu desenvolvimento pessoal, habilitando-os para a competitividade e para os desafios que enfrentam no presente e no futuro. 

Como espaço de pessoas, ideias, realizações e projetos movidos pelos saberes e procedimentos científicos, tecnológicos, culturais, de investigação e desenvolvimento do nosso tempo, a ULP contrai o compromisso de responder aos desafios que se impõem ao nível do pensamento e da formação superior no século XXI.

Reitora da Universidade Lusófona do Porto
Isabel Maria Pérez da Silva Babo Lança

Nota biográfica

Agregação no ramo de conhecimento em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho, por unanimidade. Doutoramento em Sociologia pela École des Hautes Etudes en Sciences Sociales de Paris, com a Tese: La Configuration des Evénements Publics. L¿affaire República et les manifestations aux Açores (Portugal, 1975) (Tese registada na Universidade Nova de Lisboa).

D.E.A. (Diplôme d'Etudes Approfondies) em Sociologia pela École des Hautes Etudes en Sciences Sociales de Paris. Licenciatura em Filosofia pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

Diretora da Faculdade de Comunicação, Arquitetura, Artes e Tecnologias de Informação da ULP, onde leciona, e diretora do Curso de Doutoramento (3º ciclo) em Estudos em Comunicação para o Desenvolvimento (ULP). Docente no Doutoramento em Ciências da Comunicação na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT, Lisboa). Investigadora do CICANT/Centro de Investigação em Comunicação Aplicada, Cultura e Novas Tecnologias que passou a integrar o CIC.Digital.

A sua área de especialização é a sociologia da comunicação e do acontecimento, com livro, artigos científicos e comunicações sobre acontecimento; acontecimento e problema público; acontecimento mediático, acontecimento jornalístico e memória coletiva; movimentos sociais e redes digitais; pragmática da comunicação; media e públicos.