Universidade Lusófona do Porto

Reportagem Cidadania: Um Compromisso Para O Serviço Social

"Justiça, habitação, emprego, saúde e educação guiaram o curso de todas as palestras."


No dia 16 de Outubro 2017, na Sala de atos da Universidade Lusófona do Porto, realizou-se um seminário em que a cidadania foi o tema principal. Justiça, habitação, emprego, saúde e educação guiaram o curso de todas as palestras.

Sendo a cidadania um tema que reina a formação em Serviço Social da ULP, foi importante o processo de construção de conceitos para os alunos que são, agora, de primeiro ano assimilem as bases do curso.

Já ao final da manhã e, por volta das 11 horas, abordou-se a Cidadania e como perceber a sua ampliação e consolidação de direitos numa sociedade, que tem hoje, uma tremenda posição cosmopolita no mundo.

Numa primeira intervenção, Alexandra Eiras - com experiência na área de Serviço Social, refletiu sobre " A cidadania de homens e mulheres no Brasil"- denotando-se uma larga similaridade com os problemas sociais vividos em Portugal: Decadência da imagem feminina como fonte de poder e subjugação de sexos.

Em seguida, Cláudia Mónica Santos, representante da Universidade Federal de Juiz Fora e docente na Universidade Lusófona do Porto, abordou o "Direito e Cidadania como objeto de investigação em Serviço Social" , realçando a ideia que "cada caso é um caso" e de que, de nenhuma forma, é possível avaliar casos diferentes, de pessoas diferentes, sob a mesma lupa de observação.

No que respeita à segunda fase do seminário - já na parte da tarde - temas como "Envelhecer - em tempo de cidadania", por Carla Carvalho - professora na licenciatura em Serviço Social, ou "Violência conjugal, um atentado aos direitos" de Sónia Ribeiro - mestre em Família e Sistemas Sociais, dominaram.

Para concluir o seminário, essencialmente, focado nos desafios para o "Viver em cidadania", dá-se uma apresentação e análise de experiências no âmbito da cidadania ativa. Esta já com um teor muito mais prático em que os estudantes puderam participar. Mostraram-se, portanto, casos reais e as possíveis formas de resolução, combatendo a indiferença na realização da avaliação e primaram pela exigência e visão crítica dos participantes.

Apesar de aberta a toda a comunidade académica da ULP, a iniciativa visou em particular aos estudantes de Serviço Social e os supervisores de estágio que os vêm acompanhando na formação, nestes últimos anos.