Universidade Lusófona do Porto

Importância das imagens em movimento, entre outras...

Às quartas-feiras, 15h00, Sala Nobre

Cineclube na ULP

Durante quatro sessões quatro artistas plásticos apresentarão o seu campo de acção e abordarão a importância das imagens em movimento no seu corpo de trabalho, a relação destas com outras áreas e práticas artísticas permitindo múltiplas perspectivas perspectivas do mundo.

Curadoria de José Maia
Organização: CAM - Comunicação Audiovisual e Multimédia

Programa

Quartas-feiras, às 15h, Auditório da ULP

1ª Sessão: 26 Outubro
Manuel Santos Maia / João Vladimiro
Artista plástico, curador e professor na ULP

Apresentação do mais recente filme do artista que se encontra em processo de montagem. A sessão conta com a presença do realizador.

2ª Sessão _ 2 Novembro
Miguel Leal
Artista plástico e professor na FBAUP

"Miguel Leal é um dos mais conhecidos jovens artistas portugueses cuja obra tem, desde inícios dos anos 90, interrogado as relações entre a Arte e os processos sociais que a apresentam e tornam visível nos nossos dias." João Fernandes

Apresentação de filmes e vídeos do artista.
A sessão conta com a presença do realizador.

3ª Sessão: 9 Novembro
Susana Gaudêncio
Artista plástica, curadora, investigadora e professora na ESAD.

Apresentação de filmes e vídeos do artista.
A sessão conta com a presença do realizador.

4ª Sessão: 16 Novembro
Paulo D'Alva
Realizador.

Apresentação de filmes do artista. A sessão conta com a presença do realizador.

OS FILMES

Susana Gaudêncio
Cadmus & Harmonia, 2010
Video-Animação, 2´53'' (Loop)

Paulo D'Alva
FIM DE LINHA
Portugal, 2016, ANI, HD, Cor, 11'30"


CARROTROPE
Portugal, 2013, ANI, HD, Cor, 8'


Ano: 2006 - 2007
Argumento: Manuel Santos Maia
Narrador: António Manuel Machado Maia
Captação Original (8mm): António Manuel Machado Maia
Edição Vídeo: Manuel Santos Maia e José Roseira
Pós-produção de imagem: José Roseira
Concepção sonora: Manuel Santos Maia
Engenheiro de Som: Pedro Lima
Mistura: Pedro Lima
Vídeo realizado a partir de originais de filmes de 8mm, editados em Mini-DV Vídeo DVD-Pal, Cor, Audio PCM Stereo
Duração: 35min
© Manuel Santos Maia, 2007

NOTAS BIOGRÁFICAS

Susana Gaudêncio
Susana Gaudêncio, Artista Plástica, vive e trabalha entre Lisboa e Porto. É licenciada em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Terminou o Mestrado em Belas Artes no Hunter College, City University of New York em 2008, como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Luso-Americana.
Expôs individualmente no Project Room do CAV (Centro de Artes Visuais) Coimbra, na Galeria Carlos Carvalho, Espaços do Desenho em Lisboa, na Galeria Presença no Porto. Participou em exposições coletivas em Groningen, Nova Iorque e Londres. Participou na exposição coletiva "Artistas Portugueses Lá fora", no Museu da Eletricidade, Lisboa.
Em Janeiro de 2009 realizou a exposição individual "Houyhnhnm" no Project Room da ISE Foundation, Nova Iorque. Em Outubro de 2010, a sua obra fez parte da exposição "ResPublica", no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa.
Em 2012 expôs "Época de Estranheza em Frente ao Mundo", no Project Room do Museu Nacional de Arte Contemporânea - Museu do Chiado, Lisboa.
Em 2013 participou numa residência artística no Museu da Luz, na Aldeia da Luz, apresentou os resultados na exposição "A Natureza ri da Cultura", nesse ano participa ainda numa residência da Fundação EDP, e na exposição A Lei de Ohm, ambas no Museu da Electricidade, Lisboa.
Em 2015, participa na exposição colectiva "Com o Livro do Mundo ao Lado" no Espaço Mira, na Bienal da Maia e no Projecto Contentores no Museu da Electricidade em Lisboa.
Desde 2010 lecciona na Escola Superior de Arte e Design, IPL - Instituto Politécnico de Leiria, em Caldas da Rainha. Foi Coordenadora do Serviço Educativo da Trienal de Arquitectura de Lisboa 2010 e 2013, e da Bienal EXD'11. É Doutoranda em Belas-Artes na Universidade de Lisboa, e bolseira da FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia).

Paulo D'Alva

Licenciatura em artes plásticas - ESAP - Escola Superior Artística do Porto. Mestrado em ensino das artes visuais na Universidade de Aveiro.
Iniciou a sua carreira no cinema de animação em 1995, nos estúdios do Cineclube de Avanca. Em 1996 participou como animador e co-realizador na série "Alfredo" (exibida na SIC durante o ano de 1998, vendida para televisões de 27 países). Entre 1997 e 2001 participou em várias curtas-metragens de animação. Em 1997 realiza sua primeira curta-metragem, intitulada "A noite cheirava mal", participando em mais de uma centena de festivais nacionais e internacionais arrecadando um total de 11 prémios, destacando o Grande prémio e o Primeiro prémio OURO do Festival de cinema "10 International Juvenale Klagenfurt" Áustria 99. Membro fundador da associação cinematográfica de Ovar - PANORÂMICA, onde foi responsável pelo atelier de cinema de animação, realizando diversos ateliers e workshops de cinema de animação. Participou em 2006 na curta-metragem de animação "A meio da noite", e mantém uma actividade permanente como formador na área das artes plásticas, para além da realização de spots publicitários, animáticos para televisão e vídeos pedagógicos de animação. Colabora como realizador e animador nos estúdios do Bando à Parte cinema de animação.

Miguel Leal

Nasceu no Porto em 1967, onde vive e trabalha.
Expõe regularmente desde o início dos anos 90. Dentre as exposições individuais destacam-se: "Cripta", Laboratório das Artes, Guimarães (2011); "Aqui Fora", Uma Certa Falta de Coerência/A Certain Lack of Coeherence, Porto (2010); "Keats, Keaton & Jürgenson", In.Transit, Porto (2009); "SATURNO", Galeria Fernando Santos, Porto (2007); "Phantomatic", Museu de Arte Contemporânea de Serralves, Porto (2003); "Histórias Catalépticas", Galeria Marta Vidal, Porto (2003). Dentre as exposições coletivas destacam-se: "Cinemas 2 > Drive in, Gareporto, Porto (2013); "Obras da Coleção de Arte Contemporânea da Coleção da Portugal Telecom", Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, Bragança (2013); "CCC_Collecting Collections and Concepts, uma viagem iconoclasta por coleções de coisas em forma de assim", Fábrica Asa, Guimarães Capital Europeia da Cultura (2012); "Impresiones y Comentarios - Fotografia Contemporánea Portuguesa, Sala Parpalló, Valencia (2010); Serralves 2009 "A colecção", Museu de Serralves, Porto (2009). Para além das exposições, desenvolveu trabalhos de co-curadoria, publicações e coordenação de workshops, ligados principalmente ao uso da tecnologia como ferramenta artística e social. É co-fundador da VIROSE (www.virose.pt).
As suas obras integram as colecções: Fundação de Serralves, Porto; Câmara Municipal da Maia, Maia; Colecção Ivo Martins, Porto; CAPC - Centro de Arte Contemporânea, Coimbra; Portugal Telecom; Colecção PMLJ, Lisboa; Fundação Ilídio Pinho, Porto. É actualmente docente na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto (FBAUP), leccionando cadeiras de atelier e de arte e cultura contemporâneas.

Manuel Santos Maia

Nasceu em Nampula, Moçambique. Vive e trabalha no Porto. Expõe regularmente desde 1999.
Em 1999 concebe projecto "alheava" que tem vindo a apresentar até ao presente ano. Contemplando diversas práticas artísticas, como a instalação, a fotografia, a pintura, o vídeo, a performance, o teatro e o som, as várias mostras têm sido apresentadas em diferentes países como Inglaterra, França, Estados Unidos da América, Bélgica, Espanha, Noruega, Macau e Argélia e em diversas cidades nacionais como Porto, Lisboa, Coimbra, Lagos, Oeiras, Guimarães, Braga, Tomar, Cascais, entre outras.
No mais recente projecto "non", idealizado em 2003 e apresentado desde 2006, como no projecto alheava MSM cruza a noção de documento com a experiência individual e familiar, para alcançar uma espécie de "memorabilia" colectiva, enquanto espelho antropológico que nos liga a todos pelo filtro de uma "intimidade documentada".

O filme:
"alheava_filme" assume o paralelismo entre a vida política e militar e a vida privada. Com um enfoque predominante sobre o palco de guerra revela o facto de militares portugueses que vão combater em África estarem alheados da vida nas colónias e de colonos se encontrarem igualmente alheados das movimentações militares e políticas. Realizado a partir de excertos de filmes feitos pelo pai na província de Nampula, "alheava_filme"contém também a história da família em Moçambique e a caracterização pessoal da própria região.
MSM

João Vladimiro
Nasceu no Porto, em 1981. Formado em design, é membro ativo do grupo de teatro Circolando, onde trabalhou como criador, diretor e ator em performances premiadas como Quarto interior e Mansarda. No cinema, dirigiu Pé na terra (melhor curta no IndieLisboa 2006) e o longa Jardim (2007), encomenda da Fundação Calouste Gulbenkian sobre o trabalho do arquiteto paisagista Gonçalo Ribeiro Telles.